quarta-feira, novembro 13

Bancos de Flutuar

Estou fazendo um curso de literatura aqui no México e um dos efeitos colaterais é a vontade de escrever ficção. O outro é sofrer com a confusão entre os dois idiomas, agravada pelos corrtores de texto. Mas por isso mesmo vou começar a tentar escrever em Portugués e Espanhol.

Para reanimar o blog, começo com um texto que escrevi inspirada pelos charmosos bancos de praça de Coyoacán, bairro no qual estamos morando na Cidade do México.

 
"Em seus momentos perfeitos, Mari comprava um copo de café e seguia na direção do banco de flutuar. Um velho banco de praça, com várias camadas de tinta sobrepostas, que já morava nos fundos do jardim da confeitaria há muitos anos. Impossível saber quantas almas nele já flutuaram.
Mari repousava naquele recanto, à sombra do ipê roxo, ao lado do muro de buganvílias, para receber seu banho de luz e de flores.
Suspirava e bebia, silenciosa. Em seu ritual, aquecia as palmas das mãos no copo e admirava a sombra de renda que as folhas da árvore desenhavam na superfície do café. Impregnada de vapor e de aroma, flutuava sobre um tapete fúcsia e púrpura.
Tomava um gole e flutuava. Sentia o perfume de pão no forno e flutuava. Confabulava com os passarinhos e flutuava.
Em dias mais leves, como aquele, permitia-se saborear um sonho. Flutuava em saltos. Nem sabia que horas eram, tão longe ela estava. Era assim, sempre que podia.
Nessa manhã, especialmente cálida, um jovem aproximou-se e perguntou a Mari se ele podia sentar-se ali. Ela sorriu em meio ao vapor e ao seu encantamento.
O jovem trazia um copo descartável, um prato de doces e um silêncio elegante. Sentou-se.
Lado a lado, beberam café e flutuaram juntos. Cada qual desfrutando de seus sonhos. Cada qual em seu universo. Como determinavam os alentos misteriosos daquele espaço.
Só trocaram as primeiras palavras muitos meses depois."
 

Desejo do dia: uma cama quentinha.
 
 

Um comentário:

Neria disse...

Fiquei um bom tempo sem passar por aqui, achando que vc havia desistido outra vez.
Hoje descobri que temos novidades. Gostei do texto.
Bom ter vc de volta.